Bem-vindo a Semeo Consultoria

O que falta para que sua REDE decole?

O que você precisa saber sobre redes de fibra óptica

O que você precisa saber sobre redes de fibra óptica

Se você busca oferecer para os seus assinantes uma infraestrutura de rede que possibilite melhor experiência com alta velocidade de transmissão de dados, as redes distribuídas de fibra óptica (ou FTTx) devem estar na sua mira.

A tecnologia de fibra óptica vive um excelente momento e, para se destacar no mercado de ISPs, aproveitando essa imensa oportunidade de expansão, é hora de apostar em seus benefícios: é moderna, eficiente, confiável e tem ótimo custo-benefício.

Sua versatilidade permite até mesmo a implantação de redes híbridas, em que podem ser aproveitadas estruturas pré-existentes, usando tipos de tecnologias diferentes em uma mesma rede e reduzindo custos.

Quer saber tudo sobre redes distribuídas de fibra óptica? Então, continue a leitura deste artigo. Preparamos as informações mais importantes para você entender tudo dessa tecnologia e já começar seu planejamento para implantação. 

Então, vamos para a primeira e mais básica das questões.

O que são redes distribuídas de fibra óptica ou FTTx?

Redes distribuídas de fibra óptica são redes FTTx (Fiber To The x), em que o “x” é um termo genérico para indicar alguma das tecnologias de rede PON (Passive Optical Network, ou Rede Óptica Passiva).

A PON é uma rede ponto-multiponto que permite que a fibra chegue a vários usuários partindo de uma única fibra conectada a uma porta na central. Sendo assim, a grande vantagem de uma rede PON distribuída é que ela reduz não apenas a quantidade de fibras, mas também a quantidade de equipamentos na central, em relação às arquiteturas ponto a ponto.

Além disso, as redes distribuídas de fibra óptica permitem oferecer aos assinantes conexões com velocidades acima de 100 Mbps, sem interferências e com baixa latência. Dessa forma, a tecnologia chega com o objetivo de atender o crescimento da Internet das Coisas, para a qual uma conexão de qualidade tem sido cada vez mais necessária. Afinal, é preciso suportar essa enorme quantidade de dados.

Há diferentes tipos de aplicação para redes distribuídas. Podem ser usadas por  ISPs (Internet Service Providers), empresas (como construtoras e operadoras de condomínios), redes locais (PON LAN) e outros (controle de segurança em CFTV, por exemplo).

Quais são as arquiteturas que as redes distribuídas de fibra óptica podem apresentar?

FTTA (Fiber To The Apartment)

Fiber To The Apartment, ou fibra até o apartamento, é uma arquitetura de rede de transmissão óptica em que o cabo drop fica dentro do prédio, seja comercial ou residencial, indo até uma sala onde o sinal óptico é dividido através do uso de splitters e encaminhado a cada apartamento ou escritório.

FTTB (Fiber To The Building)

Fiber To The Building, ou fibra até o prédio, é uma arquitetura de rede de transmissão óptica em que o cabo drop termina na entrada do edifício. A partir desse ponto terminal, o acesso interno aos usuários é realizado por meio de uma rede metálica de cabeamento estruturado.

FTTH (Fiber To The Home)

Fiber To The Home, ou fibra até a casa, é uma arquitetura de rede de transmissão óptica em que o cabo drop fica dentro da residência do usuário, que é servido por uma fibra óptica exclusiva.

Outras arquiteturas também comuns são:

  • FTTC (Fiber To The Curb, ou fibra até a esquina/o armário, com acesso metálico menor do que 300m);
  • FTTD (Fiber To The Desk, ou fibra até a mesa do usuário);
  • FTTN (Fiber To The Node, ou fibra até a esquina/o armário, com acesso metálico maior do que 300m).

Quais são os elementos necessários para redes distribuídas de fibra óptica?

Os elementos principais das redes distribuídas de fibra óptica são:

  • uma rede de fibra óptica monomodo;
  • alguns equipamentos que ficam tanto nas centrais quanto nos usuários;
  • os elementos de divisão no meio da rede (splitters) e que ficam alocados em caixas do tipo CTO para rede de última milha ou CEO para rede de backbone.

Os equipamentos das centrais das redes distribuídas de fibra óptica são ativos concentradores chamados de OLT (Optical Line Terminal). Na tecnologia EPON (Ethernet Passive Optical Network), a OLT permite que o sinal seja compartilhado por até 64 usuários a uma distância de até 20 quilômetros. Já na tecnologia GPON, a maioria dos fabricantes permite até 128 usuários por porta.

Enquanto isso, os equipamentos que ficam nos usuários são chamados de ONU (Optical Network Unit) ou ONT (Optical Network Terminal). As ONUs recebem sinais ópticos e disponibilizam portas metálicas para a conexão de equipamentos como computadores e telefones.

Em relação aos splitters, são componentes passivos, ou seja, não necessitam de eletricidade. Eles distribuem o sinal óptico da fibra para várias outras, o que faz aumentar a ramificação da rede.

Quais são as vantagens de usar redes distribuídas de fibra óptica?

Conheça alguns dos benefícios dessa tecnologia:

  • Economia de cabos ópticos;
  • Utilização de redes ópticas passivas;
  • Rede externa óptica totalmente passiva: facilidade de manutenção, durabilidade e segurança na implementação e manutenção da rede (por não estar energizada);
  • Redução de custos operacionais de energia elétrica dos equipamentos e confiabilidade;
  • Facilidade de atualização: instalação de clientes e mudanças de planos;
  • Gerência simplificada: todos os serviços em uma única plataforma;
  • Por se tratar de fibra óptica, o meio não sofre interferência elétrica.

Outra grande vantagem é o fato de a estrutura externa de fibra das redes distribuídas não precisarem ser modificadas quando surgirem avanços da tecnologia, sendo impactada somente nas pontas. Dessa forma, a tecnologia pode ser considerada imune às mudanças do futuro, o que faz com que as redes distribuídas de fibra óptica tenham ótimo custo-benefício a longo prazo.

fonte: https://www.cianet.com.br/blog/infraestrutura-e-tecnologia/o-que-voce-precisa-saber-sobre-redes-distribuidas-de-fibra-optica/

administrador

Deixe uma resposta